quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Diabetes faz vítimas cada vez mais jovens



Paula Galvão


Se você tem algum parente com diabete, está acima do peso, tem sede excessiva, vontade de urinar freqüentemente e visão embaçada, cuidado! Você pode estar correndo um sério perigo...
A diabete sempre foi considerada uma doença de pessoas idosas. Hoje já não é mais.
Os casos de diabete registram atualmente em toda a América Latina, um número desenfreado, fazendo vítimas cada vez mais jovens. Com esta situação, estima-se que até 2025, cerca de 26,2 milhões de pessoas desenvolvam a doença, que, segundo muitos médicos, já virou uma epidemia.
O inicio da diabete é praticamente sutil. Especialistas calculam que 40% dos diabéticos-inclusive milhões de crianças e jovens - não saibam que têm essa doença. No estágio inicial, as pessoas não percebem os sintomas, nem sentem dor, e, quando eles surgem, os pacientes se acostumam com eles. Somente quando algo fica insuportável, como visão embaçada, é que procuram o médico, então, vem o diagnóstico, que, demorado, tem conseqüências desastrosas, como a cegueira total.
A diabete é a principal causa de cegueira em pessoas entre 20 e 74 anos, segundo a Organização Mundial de Saúde. Também é a principal causa de amputação de membros, uma vez que os diabéticos sofrem alterações nos vasos sanguíneos e nos nervos, o que vem a provocar ulcerações nos braços e nas pernas. Não sendo possível cicatrizá-las, e, para salvar a vida do paciente, a solução é amputar o membro afetado. Ás vezes, uma picada de mosquito pode gerar uma tragédia, e, tendo complicações, a diabete também pode causar insuficiência renal.
Há dois tipos de diabete: o Tipo 1, que era chamado de diabete juvenil (por surgir geralmente na infância), e o Tipo 2, chamado de diabete de início tardio, por aparecer na meia-idade ou depois. Cerca de 90% dos diabéticos têm o Tipo 2, porém, o que mais preocupa e assusta os médicos, é que os pacientes são cada vez mais jovens, incluindo principalmente os adolescentes.
Estudiosos e profissionais da área de saúde justificam a causa desse caos em dois fatores interligados: a obesidade e o sedentarismo, isso porque a alimentação hoje é mais rica em açúcar e gordura; muitos empregos não exigem um exercício físico saudável e a televisão, assim como outros meios eletrônicos, virou a forma dominante de lazer e entretenimento: muitas pessoas deixam de caminhar à noite, na preferência aos programas televisivos, por exemplo.
A diabete é uma falha na resposta do corpo à ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas. Isso resulta em concentrações maiores de glicose no sangue, o que, por sua vez, compromete os vasos sanguíneos, nervos e outras partes do corpo. Em alguns casos, conforme aumenta a quantidade de glicose, é necessário mais água para diluí-la. Quando os rins liberam o excesso, o corpo fica desidratado.
O controle da diabete é feito com insulina, a qual pode ser tomada por via oral ou à base de injeções. A insulina regula o nível de glicose do sangue e diminui as complicações da doença. Médicos são unânimes em afirmar que exercícios físicos e dieta são os melhores remédios e estão à disposição de qualquer pessoa. Estudos científicos mostram que cerca de 150 minutos de caminhada por semana, juntamente com a redução de peso, podem evitar o desenvolvimento da diabete em até 58% dos pacientes, inclusive crianças e adolescentes, que têm maior facilidade em consumir alimentos gordurosos e com alto teor de açúcar.
É importante ter cuidado com a saúde, para fugir desta doença que a cada dia, está visando uma geração bem mais jovem...
Fonte: Seleções – Reader’s Digest. Edição: abril de 2007

Um comentário:

terra santa disse...

A diabete pode levar segueira total?